Sem categoria

Amor Fora Da Lei – Capítulo 7

Ticão Narrando

Depois da noite que o Bruno e eu passamos juntos ele tem me evitado e eu não conseguia tirar aquele ruivo da minha cabeça,parecia até que ele tinha feito macumba pra mim.

Toda hora eu me pegava pensando no corpo dele,no cheiro,em tudo,eu só tive esse sentimento uma vez na vida e foi pela mãe do meu filho e desde que ela morreu no parto junto com o bebê que eu jurei pra mim mesmo que eu nunca mais sentiria aquilo por ninguém,mas ai aparece ele e tudo muda e o pior é que eu nunca tinha sentido nada por outro homem antes,mas ele era diferente.

Durante esses dias eu cheguei até a ver ele algumas vezes no morro,mas ele fazia questão de passar bem longe de mim e eu cheguei ao extremo de mandar dois capangas meu atrás dele.

E em pouco tempo eles o trouxeram e ele parecia estar bastante tenso.

Eu – Podem ir. Disse para o meu capanga e eles sairam imediatamente.

Eu – Pra quê você fugiu de mim esse tempo todo? Perguntei com raiva.

Bruno – Eu não estava fugindo eu só…

Eu – Cala a boca! Agora quem fala sou eu.

Eu – Você acha que é só você que tá confuso? Eu também tô! Ou você acha que eu já comi o cu de algum cara antes?

Bruno – Olha Ticão…aquilo que a gente fez foi errado…

Eu – Errado porra nenhuma! Você gostou,eu também.

Nem eu estava me reconhecendo naquele momento,eu cheguei bem perto dele e como nós tinhamos uma diferença grande de altura,eu tinha que olhar pra baixo pra fazer contato com ele e ele tinha que olhar pra cima.

Eu sentia que ele estava nervoso.

Bruno – É melhor a gente parar com isso…

Eu – Eu sei que você quer tanto quanto eu…eu não sou bom com esses papos melosos não,mas eu sinto uma coisa por você.

Bruno – Uma coisa?

Eu – Eu que eu sinto por você é o mesmo que eu sentia pela mãe do meu filho.

Aquilo saiu da minha boca sem que eu nem percebesse e eu percebi que ele ficou assustado e sem reação.

Eu segurei a nuca dele,aproximei os nossos rostos e beijei a boca dele.

Enquanto a gente se beijava a minha mão foi direto em direção a bunda dele,e as nossos línguas lutavam uma com a outra.

Eu – Parece até que você fez macumba pra mim ruivinho. Sussurei no ouvido dele e percebi que ele ficou arrepiado.

Só em beijar ele o meu pau já estava pra lá de duro,então eu peguei ele no colo e subi as escadas em direção ao meu quarto e joguei ele em cima da nossa cama e nós fomos tirando as nossas roupas com urgência,até ficarmos completamente pelados.Enquanto a gente se beijava eu explorava todos os cantos do corpo dele.

Eu me sentei na cama e ele se ajoelhou no meio das minhas pernas e antes que ele começasse a me chupar eu bati com o meu pau duas vezes na cara dele e o meu líquido pré-gozo molhava o rostinho dele.

Ele começou a fazer um boquete em mim e caralho…era o melhor boquete que eu já tinha recebido na minha vida,ele chupava da cabeça até a base e chupava as minhas bolas.

Eu – Ahhh…que boquinha gostosa do caralho.

Enquanto ele me chupava eu dedava o cuzinho guloso dele que não parava de piscar no meu dedo.

Eu – Fica de quatro pra mim vai.

Ele ficou de quatro bem na minhs frente e eu fiquei hipinotizado com a visão daquele bundão carnudo e lisinho todo empinado ali na minha frente.Eu dei um tapa bem forte no rabo dele e abri bem a bunda dele com as duas mãos,dando de cara com aquele cuzinho rosado piscando pra mim e que estava prestes a ser invadido pela minha piroca preta.

Eu não resisti e cai de boca naquele cu,dando um bom trato nele.Eu chupava e dedava aquele cu ao mesmo tempo e depois de deixar ele bem úmido e relaxado eu encostei a cabeça do meu pau na portinha do cu dele e empurei tudo de uma vez,arrancando um grito dele.

Bruno – Ahhh!

Eu comecei a bombar e logo ele relaxou e passou a gemer e rebolar no meu pau.

A gente fudeu em todas as posições possíveis e no final eu voltei a comer ele de quatro de novo e depois de ter feito ele gozar com o meu pau no cu eu gozei dentro do cu dele e nós deitamos de conchinha e dormimos com o meu pau descansando dentro dele.

Otávio Narrando

Na manhã seguinte eu acordei com o Ticão me abraçando por trás e lembranças da noite anterior vieram na minha cabeça,mas dessa vez eu invés de culpa eu sentia felicidade.

Eu me levantei com cuidado para não acorda-lo e fui no banheiro tomar um banho.

Como eu estava morrendo de fome eu desci até a cozinha e comecei a preparar o nosso café da manhã e peguei uma bandeja e levei até o quarto dele.

Ele estava dormindo de barriga pra cima,então eu coloquei a bandeja de café em cima de uma estante e sentei no colo dele e comecei a beijar ele.

Eu -Acorda preguiçoso.

Ticão – Bom dia ruivinho.

Eu – Bom dia.Dormiu bem?

Ticão – Depois da canseira que você me deu ontem de noite eu dormi igual uma pedra.

Então eu senti que o pau dele estava começando a ficar duro por baixo do lençol e ele disse.

Ticão – Que tal uma segunda rodada hein? Disse apertando a minha bunda.

Eu – Deixa de ser tarado e vamos tomar o nosso café da manhã.

Ao dizer isso eu me levantei do colo dele e foi ai que ele viu a bandeja de café da manhã em cima da estante.

Ticão – Eita café na cama,vou me acostumar mal desse jeito.

Eu – Pode acostumar,eu deixo. Disse beijando ele.

Nós tomamos café juntos ali em cima da cama e agora eu estava conhecendo um outro lado do Ticão,um cara divertido,bem diferente do marrento que eu convivia no dia-a-dia e que dava ordens pra todo mundo no morro.

Depois do café da manhã nós fomos para a piscina,ele estava com um short de banho preto e eu com uma sunga azul.

Eu – E agora?

Ticão – E agora o que?

Eu – Você sabe…nós dois…

Ticão – A gente continua se curtindo,ninguém precisa saber de nada.Disse ele me agarando pela cintura e me beijando.

Enquanto nós nos beijavamos na piscina,ele apertava a minha bunda por dentro da sunga,enquanto eu sentia a ereção dele subindo e logo eu senti o dedo do meio dele invadindo o meu cuzinho.

Quando eu dei por mim eu já estava encostado na borda da piscina,enquanto ele abaixava a minha cueca e esfregava a cabeça do pau dele no meu cu e em seguida começou a me penetrar. A água atrapalhava um pouco,mas logo ele já estava bombando dentro de mim.

Ticão – Ahhh…a muito tempo que eu queria te comer nessa piscina.

Ele continuou me comendo com força até nós dois gozarmos juntos.

Nós ficamos o dia inteiro de pernas pro ar e nos curtindo dentro da casa e quando já era por volta das 2 da manhã,nós estavamos debaixo do edredon do quarto dele no friozinho do ar-condicionado e eu estava deitado no peito dele,enquanto ele me abraçava com seus braços fortes.

Eu já estava quase adormecendo,quando ele disse.

Ticão – Eu te amo.

15 Dias Depois

Eu estava cada vez mais apaixonado pelo Ticão e do jeito bruto dele ele demonstrava estar apaixonado por mim também,agora eu vivia mais na casa dele do na minha,mas de vez em quando eu ficava um ou dois dias direto na minha casa para não levantar suspeitas.

Naquela noite de quinta-feira eu estava caminhando em direção a minha casa,eu estava meio dolorido,até porque o Ticão não me dava uma folga rsrs.

Ao chegar em casa eu preparei um lanche pra mim e o meu celular começou a tocar e eu atendi a chamada do Marcos.

Eu – Oi Marcos.

Marcos – E aê Otávio…como andam as investigações?

Eu estava tão envolvido com o Ticão que eu até esqueci de seguir com as investigações e um desespero caiu sobre mim naquele momento.

Eu – Eu estou recolhendo algumas provas…mas eu prefiro averiguar tudo com mais cuidado antes de te entregar alguma coisa.

Marcos – Entendo…

Depois disso nós conversamos sobre outros assuntos e depois disso eu fui dormir.

No dia seguinte de manhã eu levantei e fui preparar o meu café e durante esses dias as pessoas perceberam que eu estava mais próximo do Ticão,o que fez com que as pessoas me vissem como o novo braço direito dele e o meu respeito no Morro Da Rosa Branca aumentou.

Flash Back On

A alguns dias atrás estava tendi um baile funk no morro e depois de tanto tempo morando ali eu já estava até gostando um pouco de funk.

Eu tinha ido até o balcão pegar mais bebida e acabei passando pelo William e o Pirata sem que eles me vissem.

Pirata – Parece que você perdeu mesmo o posto de braço direito do chefe pro branquelo hein hahaha!

William – Continua rindo,mas a farra do ruivinho vai durar pouco,pode apostar.

Flash Back Off

Naquela sexta-feira de tarde eu estava na casa do Ticão preparando o almoço pra gente,enquanto ele me abraçava por trás.

Eu – Para ou eu vou acabar me queimando.

Ticão – Eu tô afim mesmo é de partir direto pra sobremesa. Disse apertando a minha bunda.

Depois do almoço nós fizemos um amor gostoso no sofá da sala e ficamos deitados abraçadinhos,até que ele se levantou e foi até a gaveta da estante.

Ticão – Eu tenho um presente pra você.

Então ele me entregou um cordão de ouro e um relógio de ouro cravejado de diamentes que conserteza devem ter custado os olhos da cara,eu com o meu salário de policial teria que trabalhar cinco vidas pra poser comprar aquilo e mesmo assim ficaria devendo.

Ticão – E ai gostou?

Eu – Eu adorei,mas deve ter sido caro a bessa eu não posso aceitar.

Ticão – Por isso mesmo que eu comprei ou você acha que eu ia dar presente barato pra você.

Eu – Verdade,eu sei que você é umm homem generoso.

Então ele colocou o cordão no meu pescoço e o relógio no meu pulso e disse.

Ticão – Agora sim você tá no estilo.

Nós começamos a nos beijar de novo e fizemos amor mais uma vez.

Jean Narrando

Durante esses dias o Diogo e eu estamos nos dando cada vez melhor,mas nós ainda não transamos,pois eu me sentia meio inseguro.

Agora o pai dele,o Marcos já sabia do nosso namoro e o meu irmão Otávio também,ele inclusive ficou um pouco assustado ao saber que eu sou gay igual a ele.

Flash Back On

Nós estavamos conversando pelo Skype,quando eu decidi abrir o jogo com ele.

Eu – Irmão eu preciso te contar uma coisa.

Otávio – Pode falar maninho.

Eu – Eu tô namorando.

Otávio – Ah que bom,quando eu voltar pra casa eu quero conhecer ela.

Eu – Mas…não é ela…é ele…

Otávio – Você tá namorando outro homem?

Eu – Sim é o Diogo filho do Marcos.

Otávio – Vocês já transaram?

Eu – Ainda não…eu tô meio inseguro em relação a isso.

Otávio – Abre o jogo com ele,se ele te ama de verdade ele vai entender.

Flash Back Off

Eu decidi abrir o jogo com o Diogo e naquela noite de sexta-feira nós estavamos nos beijando e quando o Diogo foi tirar o meu short eu levantei e disse.

Eu – Eu tenho que abrir o jogo com você…escuta…eu não sou bem o que você tá pensando…

Diogo – Como assim?

Já estava na hora de revelar a verdade pra ele,então eu decidi falar.

Eu – Eu sou um homem trans.

Diogo – Hahahaha ai fala sério cara haha.

Eu – Eu tô falando sério.

Ele continuava rindo e por mais que eu falasse ele não iria acreditar,então eu tirei o meu short e a minha cueca na frente dele,o deixando surpreso.

Diogo – Meu Deus…

CONTINUA…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar